Amar é cumprir a Lei

Jesus, na montanha, ensina seus discípulos os mistérios do Reino de Deus. Seu discurso, inaugurado pelas bem-aventuranças, propõe a seus ouvintes uma nova imagem do Deus único, e os conduz ainda mais longe na compreensão do desígnio benevolente de Deus. Ele constrói seu ensinamento com uma série de antíteses baseadas no mesmo modelo: “Vós ouvistes o que foi dito… Eu, porém, vos digo…”. Jesus, portanto, prepara seus interlocutores para algo novo.

O Sal e a Luz do Mundo

Na vida, o que mais precisamos, além do indispensável alimento cotidiano, é de uma boa palavra, uma dessas palavras que são ditas no momento certo e que iluminam a vida. Uma dessas palavras que nos dão coragem quando ela mais falta. Hoje Jesus nos diz essa palavra. E para nossa grande surpresa, Jesus nos declara: “Vós sois o sal da terra! Vós sois a luz do mundo!” (Mt 5,13.14).

Para sermos as testemunhas que o mundo espera

No domingo passado, a voz vinda do céu dizia: “Este é o meu Filho amado”; hoje, o próprio Batista nos diz: “Eu vi e dou testemunho: Este é o Filho de Deus”. Portanto, o que para nós é importante hoje é o testemunho do Precursor: ele recebeu os sinais, depois fez a experiência que lhe concedeu a graça de ver; e, enfim, dá testemunho do acontecimento.

Torna-te aquilo que tu és!

Jesus vai em direção a João, um homem entre homens, misturado com essa multidão que aflui para o Rio Jordão. Jesus vai até João a fim de ser batizado, seguindo aquelas pessoas que faziam penitência. Mas João quer impedi-lo: “Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?” De fato, por que esse batismo de água do qual Jesus não tem necessidade?