CAPÍTULO 72 - Do bom zelo que os monges devem ter


 Assim como há um zelo mau, de amargura, que separa de Deus e conduz ao inferno,  assim também há o zelo bom, que separa dos vícios e conduz a Deus e à vida eterna.  Exerçam, portanto, os monges este zelo com amor ferventíssimo  isto é, antecipem-se uns aos outros em honra.  Tolerem pacientissimamente suas fraquezas, quer do corpo quer do caráter;  rivalizem em prestar mútua obediência;  ninguém procure aquilo que julga útil para si, mas, principalmente, o que o é para o outro;  ponham em ação castamente a caridade fraterna;  temam a Deus com amor;  amem ao seu Abade com sincera e humilde caridade;  nada absolutamente anteponham a Cristo -  que nos conduza juntos para a vida eterna.