Mosteiro da Transfiguração

Em Vossa Luz contemplamos a Luz!

foto
 

Regra



PRÓLOGO

I - Dos gêneros de monges

II - Como deve ser o Abade

III - Da convocação dos irmãos a conselho

IV - Quais são os instrumentos das boas obras

V - Da obediência

VI - Do silêncio

VII - Da humildade

VIII - Dos Ofícios Divinos durante a noite

IX - Quantos salmos devem ser ditos nas Horas noturnas

X - Como será celebrado no verão o louvor divino

XI - Como serão celebradas as Vigílias aos domingos

XII - Como será realizada a solenidade das matinas

XIII - Como serão realizadas as matinas em dia comum

XIV - Como serão celebradas as Vigílias nos natalícios dos Santos

XV - Em quais épocas será dito o Aleluia

XVI - Como serão celebrados os ofícios durante o dia

XVII - Quantos salmos deverão ser cantados nessas mesmas horas

XVIII - Em que ordem os mesmos salmos devem ser ditos

XIX - Da maneira de salmodiar

XX - Da reverência na oração

XXI - Dos decanos do mosteiro

XXII - Como devem dormir os monges

XXIII - Da excomunhão pelas faltas

XXIV - Qual deve ser o modo de proceder-se à excomunhão

XXV - Das faltas mais graves

XXVI - Dos que sem autorização se juntam aos excomungados

XXVII - Como deve o Abade ser solícito para com os excomungados

XXVIII - Daqueles que muitas vezes corrigidos não quiserem emendar-se

XXIX - Se devem ser novamente recebidos os irmãos que saem do mosteiro

XXX - De que maneira serão corrigidos os de menor idade

XXXI - Como deve ser o Celeireiro do mosteiro

XXXII - Das ferramentas e objetos do mosteiro

XXXIII - Se os monges devem possuir alguma coisa de próprio

XXXIV - Se todos devem receber igualmente o necessário

XXXV - Dos semanários da cozinha

XXXVI - Dos irmãos enfermos

XXXVII - Dos velhos e das crianças

XXXVIII - Do leitor semanário

XXXIX - Da medida da comida

XL - Da medida da bebida

XLI - A que horas convém fazer as refeições

XLII - Que ninguém fale depois das Completas

XLIII - Dos que chegam tarde ao Ofício Divino ou à mesa

XLIV - Como devem fazer satisfação os que tiverem sido excomungados

XLV - Dos que erram no oratório

XLVI - Daqueles que cometem faltas em quaisquer outras coisas

XLVII - Como deve ser dado o sinal para o Ofício Divino

XLVIII - Do trabalho manual cotidiano

IL - Da observância da Quaresma

L - Dos irmãos que trabalham longe do oratório ou estão em viagem

LI - Dos irmãos que partem para não muito longe

LII - Do oratório do mosteiro

LIII - Da recepção dos hóspedes

LIV - Se o monge deve receber cartas ou qualquer outra coisa

LV - Do vestuário e do calçado dos irmãos

LVI - Da mesa do Abade

LVII - Dos artistas do mosteiro

LVIII - Da maneira de proceder à recepção dos irmãos

LIX - Dos filhos dos nobres ou dos pobres que são oferecidos

LX - Dos sacerdotes que, porventura, quiserem habitar no mosteiro

LXI - Dos monges peregrinos como devem ser recebidos

LXII - Dos sacerdotes do mosteiro

LXIII - Da ordem na comunidade

LXIV - Da ordenação do Abade

LXV - Do Prior do mosteiro

LXVI - Dos porteiros do mosteiro

LXVII - Dos irmãos mandados em viagem

LXVIII - Se são ordenadas a um irmão coisas impossíveis

LXIX - No mosteiro não presuma um defender o outro

LXX - Não presuma alguém bater em outrem a próprio arbítrio

LXXI - Que sejam obedientes uns aos outros

LXXII - Do bom zelo que os monges devem ter

LXXIII - De que nem toda a observância da justiça se acha estabelecida nesta Regra